16 janeiro 2018

Amigurumi: Como os bichinhos de crochê ajudaram no meu tratamento

Há quase 2 anos fui diagnosticada com depressão leve e transtorno de ansiedade e, embora já apresentasse os sintomas há mais tempo, só então resolvi procurar a ajuda de um especialista (para mais informações, assista ao vídeo no canal em que conto um pouquinho a respeito).

Alguns dos amigurumis, com receita própria, que tenho em casa
Além da licença médica, do remédio e da psicoterapia, o médico recomendou que eu fizesse artesanato como terapia complementar. Ora, essa... Eu, Fernanda Fusco, fazendo artesanato? Me lembrei de algumas de minhas tentativas (entre elas, esta aqui) e comecei a rir no consultório!

Me esqueci da recomendação e, tempos depois, minha mãe me envia uma mensagem contando sobre a sua mais nova descoberta: amigurumi, uma técnica japonesa de confecção de bichinhos de crochê ou tricô. Para complementar, me envia também alguns tutoriais e fotos de suas produções. E não é que fiquei bastante interessada? Sempre quis poder desenvolver os meus próprios bonequinhos e ainda me inspirar nos meus artistas ou personagens favoritos! 💕

Alguns dos amigurumis, com receita própria, que tenho em casa
E lá vamos nós para a 25 de Março! Comprei tudo o que precisava (felizmente o material não é absurdamente caro) e voltei para casa com uma pontinha de esperança. Embora eu não levasse muito jeito para artesanato e só soubesse fazer correntinhas de crochê, como tinha muito tempo livre por conta da licença decidi que iria me dedicar até aprender (mesmo que não ficasse nada muito perfeito) e seria mais uma nova ocupação e distração para a minha cabecinha acelerada.

Surpreendentemente, após aprender a fazer a minha primeira bolinha graças ao canal da Bia Moraes, compreendi um pouquinho de toda a "engenharia" por trás da construção de um amigurumi e desenvolvi o meu primeiro ursinho, que batizei carinhosamente de Tchubinho! Fiquei muito feliz com o resultado - diferente do meu Ursinho Teddy de tecido, ficou muito melhor do que eu estava esperando!


A partir daí, passei a desenvolver minhas próprias receitas e o que eu não compreendia ainda, buscava por tutoriais de técnicas específicas ou imagens para me inspirar (como fazer acabamento, bordar, enrolar o cabelinho, entre outras). A Pixelando Artesanatos, minha primeira lojinha virtual, nasceu um tempinho depois, quando desenvolvi ainda mais segurança para expor os meus produtinhos. Ela também é o resultado de uma parceria com o meu marido e a minha mãe - em breve comento um pouquinho mais sobre os outros produtos de lá!

Vídeo do canal Two Bee que me ensinou a fazer a minha primeira bolinha

É claro que a medicação e a psicoterapia foi o conjunto responsável para a minha melhora (e breve alta!), mas o artesanato teve um papel muito importante para mim. Além de me ajudar em relação à calma e paciência, confeccionar esses bichinhos contribuiu também para minimizar a minha insegurança e autocrítica: mesmo que não ficassem perfeitos a primeiro momento, o resultado de cada um deles me mostrava que eu ainda era capaz de aprender algo novo. E como é prazeroso poder ver esses resultados, após horas de estudo, dedicação e carinho! 💙

A Fernanda de 2 anos atrás estaria rindo e desacreditando deste relato! Se eu tivesse um DeLorean, voltaria no tempo e diria que eu não preciso "levar jeito": basta ter vontade, tempo e dedicação para aprender, como pra qualquer área na nossa vida!

Acesse Pixelando Artesanatos para conhecer mais de nossos trabalhos! 😃
...
...

8 comentários:

  1. Como estou feliz por vc.
    Eu acho eles tão fofos e quem sabe um dia eu não dou uma chance tbm
    Olha wue talento *_* FICARAM LINDOS DEMAIS

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Engraçado como algo tão simples ajuda a gente né?!
    Amo criar com minhas mãos, me faz um bem danado, quando tenho minhas crises de ansiedade eu desenho ou escrevo, já falei uma vez que a arte salvou minha vida, e é a mais pura verdade.
    Que bom que você conseguiu sair dessa, o mundo é um caos que deixa a gente transtornado, mas é a vida. Falo pra mim todo dia acordar com esperança, não sei em que, mas mando a energia positiva pra dentro e pulo da cama, se não for assim é pior.

    Seu ursinho me deixou encantada, que fofisse, e quando vi ali a Miss Marvel - AMO - já quero!
    Adorei!

    xero
    http://rascunhosehistorias.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Menina, você já arrasou no primeiro que fez! Eu acompanho a Bia faz teeeempo, mas como não sou boa para essas coisas, decidi não tentar, rs.
    Estou feliz pela sua recuperação e encantada pelo seu trabalho! Me apaixonei pela mulher maravilha! <3 Meus parabéns, ficaram lindooos! Você tem muito talento!

    ResponderExcluir
  5. Adorei tanto os seus amigurumis quanto a história por trás deles! Achei bem interessante o final do seu relato, sobre ter vontade, tempo e dedicação para aprender aquilo que achávamos não ter jeito... porque eu sempre achei não ter jeito para a costura, mas a vontade de fazer minhas próprias coisinhas tem sido maior, então resolvi tentar esse ano (vamos ver o que vai sair, eheheh!). Parabéns pelo seu trabalho, Fer <3

    ResponderExcluir
  6. Olá. Nossa que bichinhos fofinhos! Já quero um pra mim! Ficaram bem lindos. Achei bem interessante. E imagino que deve ser legal fazer algo do tipo além de deixar outras pessoas felizes com os bichinhos. Que bom que você está melhor agora. Primeira vez aqui no blog, achei bem legal seu blog. Beijos!
    Snack Cheese Viva o leite ~🍪v i s i t e - n o s🍪

    ResponderExcluir
  7. ai que coisa mais lindaaaaa! eu acho que o artesanato ajuda muito a gente, é uma terapia de relaxamento pra mim! já tentei aprender crochê e tricot algumas vezes e achei muito difícil ou eu que sou muito sem coordenação, HAHAHAH mas felizmente, tem arte para todos os gostos!
    que bom que te ajudou ♥

    ResponderExcluir
  8. Oi, Fer! Que delícia ler seu relato <3 E que lindo o seu trabalho!
    E não poderia concordar mais com você: "basta ter vontade, tempo e dedicação para aprender". Ano passado comecei a estudar para concursos públicos (área de Tribunais) e achei que jamais entenderia o que é o Direito e decoraria as regras de Processo Civil, mas com muita vontade e muita bunda na cadeira hoje eu consigo discutir prazos e recursos com meu pai e meu namorado que são advogados. É só ter força de vontade e fazer acontecer!
    Um beijo.

    ResponderExcluir